Recursos Humanos - Ágil

Nossas dicas para o crescimento da área de RH de forma ágil e assertiva.

O que muda na gestão de pessoas em tempos de crise?

O que muda na gestão de pessoas em tempos de crise?

A busca por melhores resultados desconhece cenários de incertezas econômicas. Metas precisam ser cumpridas, a inovação continua sendo uma forte necessidade das organizações e projetos devem ser desenvolvidos ainda que com recursos escassos. Produzir mais com menos praticamente se transformou em um mantra no mundo dos negócios.

Para atingir estes objetivos, muitos gestores passaram a voltar os olhos para o ambiente interno das empresas. Isto significa, em outras palavras, reposicionar um de seus setores mais estratégicos: o RH.

Este reposicionamento é resultado das transformações do cenário econômico e, conseqüentemente, dos impactos destas mudanças nas organizações. Nada mais urgente hoje do que capacitar talentos, promover o desenvolvimento de líderes, estimular a inovação e a motivação de equipes.

Para o mestre em Gerenciamento de Projetos pela USP e instrutor do Ietec, João Carlos Boyadjian, empresas necessitam de uma gestão eficiente, com processos definidos em sintonia com os atuais e novos projetos. O papel do RH passa a ser fundamental nesta reestruturação: “É atual a questão sobre como priorizar e solucionar problemas de forma integrada. Isto significa facilitar a comunicação e a organização do trabalho”.

Para a diretora executiva da Santa Bárbara Engenharia, Maria Vitória Dias, o RH deve motivar os funcionários a responderem de forma efetiva às modificações no ambiente organizacional: “É imperativo prepararmos as pessoas para atuarem em ambientes de mudança. Elas podem promover transformações nas empresas, nos processos de capacitação ou até mesmo influir para um novo cenário econômico”, afirma.

Os desafios da gestão de pessoas em tempos de mudança será um dos 10 painéis que irão integrar a programação do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos, que acontece nos dias 07 e 08 de Julho, em Belo Horizonte. Entre os palestrantes, Maria Vitória Dias e João Carlos Boyadjian, um dos coordenadores do encontro.

Da teoria à prática – A missão do RH é árdua e uma pequena amostra dos desafios do setor vem traduzida pela pesquisa realizada pelo Ietec, durante o 11º Seminário Nacional de Gestão de Projetos, que aconteceu em 2008, em Belo Horizonte. A pesquisa buscava medir a qualidade e a eficiência do gerenciamento de projetos nas organizações. Para isto, o Ietec ouviu executivos e especialistas de 97 empresas e 308 congressistas.

O resultado da pesquisa é preocupante. Entre as características consideradas deficientes encontradas nos profissionais responsáveis por planejarem e executarem projetos estão: a comunicação, o gerenciamento de conflitos, a integração, a liderança e a iniciativa.

“A preparação para a mudança que deve ser proposta pelo RH é um processo contínuo e fundamental para a sustentabilidade dos negócios”, afirma a diretora executiva da Santa Bárbara Engenharia. Para ela, quando as pessoas compreendem a mudança, elas se tornam menos ameaçadoras para a qualidade dos projetos de uma empresa e conclui: “quem não muda, não sobrevive”.

Entre os temas a serem discutidos no painel “Gestão de Pessoas em tempos de mudança”, está o papel da liderança e seu desenvolvimento a favor dos negócios. Apesar de se tratar de um tema cada vez mais explorado nas organizações, a liderança ainda é um desafio não somente para gestores mas também para os departamentos de RH.

Embora para alguns gerir um projeto consiste apenas em direcionar pessoas e conduzir ações, um líder desenvolve outras habilidades: saber ouvir a sua equipe, conhecer seus problemas operacionais, compartilhar informações e, sobretudo, propor alternativas.

“Não há solução mágica: o líder precisa discutir a sua visão, estabelecer metas, focar em resultados, transformar erros em aprendizagem e gerir conflitos”, afirma o professor da Fundação Dom Cabral e palestrante do Seminário Nacional de Gestão de Projetos, Paulo Villamarim.

E por que o desenvolvimento da liderança é crucial nos dias de hoje? Para Vilamarim, a atual crise econômica mundial está permitindo às empresas o realinhamento das distorções e o ajuste das expectativas quanto às oportunidades de negócios, remuneração de executivos, velocidade da carreira, entre outros aspectos. Com isto, muda a liderança e a gestão de negócios em todas as partes do planeta.

“Um dos maiores desafios do RH e dos executivos durante uma crise, a meu ver, é evitar que as incertezas contaminem os funcionários e se transformem em desespero. Isto exige processos de comunicação e de relacionamentos consolidados”, conclui o professor.

Seminário – Nos dias 7 e 8 de julho, o Ietec realiza em Belo Horizonte o 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. O encontro promoverá um debate com profissionais e especialistas sobre a implantação da metodologia de Gestão de Projetos nas empresas e traz reflexões sobre novos cenários, riscos e oportunidades de negócios.

A programação do evento contará com 26 palestras em 10 painéis. O impacto da crise nos projetos, a gestão de riscos, e a gestão de pessoas em tempos de mudanças serão alguns dos temas que serão tratados por especialistas e executivos. Entre eles, o diretor-presidente da Vallourec & Sumitomo Tubos do Brasil, Otávio Sanábio; a superintendente de TI da Companhia Hidroelétrica do Rio São Francisco – Chesf, Sandra Camelo; o diretor de Operações da Converteam Brasil, Alex Alvarenga; o diretor-executivo da Overseas, Claudinei Elias; o gestor do Escritório de Projetos da ArcelorMittal, Andrei Bosco; o diretor regional da IPA para a América Latina, Carlos Tápia; e o gerente geral de Projetos Especiais da Votorantim – Peru, Paschoal Cataldi.

 

Gestão de Projetos

http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/720